Se falta boi lá fora, sobra boi nos pastos brasileiros! E isso aquece bastante às exportações do setor.  E o mercado, segundo todos os indicadores, permanecerá aquecido nos próximos meses, apesar do número de reses e animais oferecidos continuar modesto. O problema é que a demanda cresceu e o setor pecuário demora para desmamar, engordar e abater – mas são ativos já negociados com os  compradores estrangeiros.
Como  tudo na economia, se vive hoje o rescaldo ou a ressaca do fenômeno político-monetário de ontem.  A escassez alimentar no leste europeu acoplado ao atropelo econômico da pandemia ainda não  geraram a aceleração na produção de proteína animal  aqui no  Brasil, porque os reflexos da demanda ainda estão sendo absorvidos pelo mercado. Mas como tudo neste setor é expectativa e o produto agro virou commoditie rural, o produtor brasileiro agora mais do que nunca trabalha (e exporta) para o futuro.
Ainda que se esteja falando em mercado futuro, é importante observar que a cautela dos produtores brasileiros não afetou o desempenho habitual atual, longe de ser tímido. A soja e o boi foram os propulsores da economia e do agro no ano que passou,  afinal de contas. E começa a trabalhar com um ágio de até 30 reais por arroba de boi gordo vendido para o mercado externo. Aqui no Brasil será mais barato, com a arroba em torno de R$319,00. É claro que o valor oscila um pouco pelo  país continental em que vivemos: No Mato Grosso do Sul a arroba está bem mais barata,   e   muda bastante em cidades que são referência no setor, Cuiabá e Uberaba, por exemplo: R$ 282 e R$ 310, respectivamente. Em Goiânia, até aqui fechado em R$ 305.
Todavia, as expectativas e o ambiente de negócio sugerem menos reajustes e alterações de preço a partir de agora, com um menor apelo ao consumo devido à estiagem e à lentidão natural da reposição do rebanho. O quarto traseiro do boi está precificado e R$ 22,50 o quilo e seu quarto dianteiro do boi teve ligeira alta, de R$ 0,60 em R$ 17,20. Por fim, o preço da ponta de agulha também teve alta, ficando em R$ 17,00 por quilo.

fonte: https://www.canalrural.com.br/noticias/pecuaria/boi-precos-continuam-em-disparada-com-exportacoes-aquecidas/



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.