Saiba como o feijão é plantado e cultivado no Brasil

Tradicional no prato de todos os brasileiros, o feijão nosso de cada dia é um dos grãos mais populares não só no Brasil, mas também no mundo. Mas você sabe como esse feijão é plantado e cultivado? 

Como o feijão é um dos principais alimentos da mesa do brasileiro (e de diversos outros países), durante o período de quarentena causado pelo Covid-19, as vendas no mercado interno e externo cresceram muito.

Segundo o Instituto Brasileiro do Feijão e Pulses (IBRAFE) em 2019 a exportação de feijão já era de  US$ 57,1 milhões nos sete primeiros meses do ano, um avanço de 34% em relação aos US$ 42,7 milhões do mesmo período de 2018.

O mercado que já vinha aquecido, acabou crescendo ainda mais em 2020 e só tende a melhorar.

A produção de feijão no País

Nos últimos anos, o feijão esteve entre os cinco grãos mais produzidos no Brasil, com uma média de 3 milhões de toneladas por ano. 

Toda essa produção é dividida, basicamente, em três safras ao longo do ano.

  • – safra de verão ou “das águas”, semeada entre outubro e novembro;
  • – safra outonal ou “da seca”, que é plantada entre fevereiro e março;
  • – safra de inverno entre abril e junho.

Isso garante uma oferta constante de feijão para o mercado, sendo consumido ao longo de todo o ano. 

Essas três safras só são possíveis graças ao curto ciclo da cultura da irrigação.

São três os principais tipos de feijões produzidos: 

  • Feijão comum-preto; 
  • Comum-cores; 
  • Feijão caupi. 
https://granmilho.com.br/como-arrendar-terras-para-plantio/

Os componentes da planta

Para compreender o ciclo do feijão, precisa-se antes conhecer as partes que compõem sua planta.

O feijão (Phaseolus spp.) é uma planta herbácea pertencente à família Fabaceae, a mesma da soja.

São muitos tipos de feijão, mas os mais comuns no mercado são os do tipo Phaseolus vulgaris, principalmente o feijão-carioca, o feijão-preto e o feijão-branco. Também temos suas variáveis como o feijão caupi, conhecido como feijão de corda – Vigna unguiculata.

As sementes do feijão apresentam germinação epígea, e seu sistema radicular é pivotante, com uma raiz principal e muitas ramificações (raízes secundárias).

A profundidade das raízes do feijoeiro podem chegar a alcançar cerca de 1,1 metro de profundidade, mas grande parte da densidade radicular se concentra nos 0,63 cm/cm³ do solo.

Outra característica é que o feijoeiro possui dois tipos de folhas: as folhas simples são as primárias, já presentes no embrião, e as demais folhas são trifolioladas.

A disposição das flores favorece a autofecundação e essas possuem diferentes colorações como brancas, branco-amareladas, róseas, purpúreas e ainda violetas. 

Além disso, o hábito de crescimento do feijoeiro pode ser determinado ou indeterminado. 

Crescimento determinado: o caule principal termina numa inflorescência, ou seja, quando inicia-se o florescimento o crescimento vegetativo finaliza. 

Crescimento indeterminado: na extremidade do caule existe gema vegetativa ou floral e vegetativa, ou seja, quando inicia o florescimento, o crescimento vegetativo pode continuar.

Melhor época para o plantio de feijão

Existe uma certa variabilidade no ciclo do feijoeiro e a média geral se completa em 70 a 110 dias, dependendo da cultivação e das condições climáticas.

Diferente da soja, que atualmente mudou suas nomenclaturas do ciclo de duração para grupos de maturação, o feijão mantém a mesma.  

A divisão entre a duração do ciclo pelas cultivares se dá entre superprecoces, precoces, médias e tardias.

Falando em ciclo, as características morfológicas utilizadas na identificação de cultivares do feijoeiro, envolvendo as fases vegetativa e reprodutiva são muito importantes de serem conhecidas, pois interferem nos períodos em que se realiza o plantio (considerando o momento ideal das condições climáticas).

A cultura do feijão pode se adaptar a praticamente todas as regiões do Brasil, sendo preciso apenas que se planeje o ciclo da cultura com as condições climáticas locais.

Além disso, esse tipo de cultivo pode ter altos retornos financeiros, o que viabiliza uma agricultura mais intensiva com cada vez mais investidores e produtores para o setor.

Depois desse texto dá até para olhar o feijão no prato, com outros olhos, não é mesmo? Ficou claro como o feijão é plantado e cultivado?

Se quer ajuda para planejar sua safra, vender ou comprar feijão no mercado interno e externo, entre em contato com a gente pelos telefones (34) 3662-5816 ou (34) 99311-1139 ou clique aqui.

Continue seguindo o blog da Gran Milho, e fique por dentro das principais culturas agrícolas do nosso país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.