O transporte de grãos exibe diversos desafios. Produtores rurais sabem que o trabalho não termina junto com a colheita. O período chamado pós-colheita compreende várias etapas importantes que se não forem bem executadas poderão desperdiçar todo o esforço realizado até agora, e um desses cuidados têm a ver com o transporte de grãos.

Confira mais sobre os cuidados necessários nessa fase do negócio e seus principais desafios.

Maiores desafios do transporte de grãos no Brasil

Infraestrutura das estradas

Uma boa oferta de infraestrutura e de estradas no país está entre os principais desafios do atual sistema logístico brasileiro.

Dos 1,7 milhões de quilômetros em estradas existentes no Brasil, apenas 10% estão totalmente pavimentadas, de acordo com o CNIT e o DNT.

Com estradas mal conservadas, parte da carga se perde devido às trepidações das carrocerias dos caminhões, além de aumentar o tempo de viagem e de permanência dos grãos em cima dos veículos.

Aparentemente, essa perda pode ser insignificante, mas o transporte rodoviário está em segundo lugar nas causas responsáveis pela perda total da safra de grãos no Brasil; já falamos em outro momento sobre como diminuir essas perdas, só clicar aqui pra conferir.

Caminhões datados

Outro agravante para o setor de transportes de mercadorias no Brasil é em relação a idade da frota nacional de caminhões. Motores mais velhos e antiquados impulsionam o uso de combustíveis com maiores índices de enxofre além de interferir na velocidade e na consistência de entrega dos produtos.

A tarefa de transportar os alimentos do local produtor até o consumidor impõem grandes desafios à pessoas físicas e entidades e por isso exige a adoção de uma logística de transporte que diminua o impacto destes desafios na economia, além de outras medidas.

Deterioração da carga

Ao escolher a melhor forma de levar os produtos de um ponto a outro, não apenas o tempo a ser gasto com o transporte deve ser levado em conta, mas também o produto que será transportado.

Isso porque longas ou maiores distâncias que as previstas criam a possibilidade de os produtos se deteriorarem, ou seja, de se danificarem e perderem suas capacidades físicas. Condições de temperaturas e de umidade nas quais ficarão expostos nas carrocerias são condicionantes na qualidade final do produto a ser entregue.

Outras formas de transporte de grãos

Além da modalidade de transporte rodoviário, que escoa quase 70% de toda produção brasileira de grãos, existem outras três, porém não tão viáveis quanto a primeira.

As principais formas de transportes, além do rodoviário, são a ferroviária, a hidroviária e a aeroviária. Sendo asmodalidades mais caras, respectivamente, as aeroviária, rodoviária, ferroviária e por último, a hidroviária.

Cada opção oferece um número de vantagens e desvantagens, principalmente no caso das commodities agrícolas, assim como gastos de energia e de tempo que podem ou não ser adequados ao produto que está sendo transportado.

Se a modalidade escolhida não for a mais inteligente, perda de tempo e de produto podem ocorrer. Muito trabalho precisa ser feito para que as maneiras secundárias de conduzir os grãos possam ser potencializadas, no momento em que temos uma malha ferroviária insuficiente e mal conservada e difícil acesso terrestre aos portos e rios sem infraestrutura para navegação, como falamos.

A tarefa do transporte de grãos do local produtor até o consumidor impõem grandes desafios, por isso nós da Gran Milho oferecemos um serviço de logística apurado para auxiliar pequenos, médios e grandes produtores. Entre em contato conosco clicando aqui e veja como podemos te ajudar a transportar seu produto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.