Como escolher um bom caminhão para transporte de grãos? O transporte agropecuário brasileiro sofre com diversas dificuldades de segurança, escoamento e conservação das vias. Essa difícil situação é sentida na pele por produtores que veem suas margens de lucro diminuindo. Se de um lado temos uma governança que pouco se importa com isso, do outro temos empreendedores que buscam cada vez mais diminuir seus prejuízos. Mas como?

Quer um consultor pra te ajudar na logística do seu transporte? Clique aqui e entre em contato.

Essa difícil situação pode ser amenizada por meio da aquisição de caminhões mais aptos para o transporte de grãos.

Além de superar a falta de infraestrutura das rodovias brasileiras, essas máquinas devem oferecer uma boa resistência, serem econômicas no consumo de combustível, suportar longas jornadas de trabalho e não deixar parte da carga no chão.

Confira como escolher o caminhão para o transporte de grãos.

Como escolher o caminhão certo

De cada 10 caminhões vendidos no Brasil, cinco são do segmento de pesados. Dentro deste segmento, os 10 mais vendidos são quase todos com perfil mais utilizado para as atividades de transportes do agronegócio. Executivos da indústria de caminhões, afirmam que mais de 30% das vendas hoje são para empresas ligadas ao agronegócio. 

Dentro deste contexto, o transporte de grãos e outros produtos das diversas regiões do País são feitos por cavalos mecânicos dotados de boa potência para puxar bitrenzão, tecnologias para as logísticas e cabines confortáveis para os motoristas que atravessam o País por diversos dias de viagens.

Como os caminhões também são usados para outras atividades entre as safras e, também, são revendidos geralmente ainda seminovos, o cavalo mecânico deve atender o transporte de longa distância do agronegócio e também precisa ser configurado em suas características técnicas, como entre eixos, tanque de combustível, cabine etc., para ser versátil no atendimento de outros segmentos.

Os atributos físicos de um caminhão adequado para grãos são cabine mais baixa e com defletores laterais – já que a carga é mais baixa e dispensa o defletor de teto. Mas caso opte pelo item, ele também deve ser baixo.

A relação do eixo traseiro é mandatória, já que é ela que vai definir o nível do consumo de combustível.

O caminhão graneleiro

O caminhão graneleiro é responsável pelo transporte de cargas secas a granel, como trigo e soja. Os veículos pesados são os mais utilizados para este tipo de produto, com destaque para o truck, carreta e bitrem. A carroceria deve ser aberta e, preferencialmente, alta para que o processo de entrega mantenha a integridade da carga e evite desperdícios.

Ainda de acordo com a CONAB, o Brasil perde muito no transporte de grãos seja pelas más condições das rodovias, por frotas mal preparadas ou ainda por descuido dos motoristas dos caminhões.

Como deve ser a carroceria

Segundo o Contran, órgão regulador do setor no Brasil, o translado desse tipo de carga deve ser feito em veículos com carrocerias cujas guardas laterais sejam fechadas ou com telas metálicas com malhas de dimensões que impeçam o desperdício do material durante a viagem.

Além disso, a carga precisa estar coberta por uma lona ancorada à carroceria do veículo e, claro, em bom estado. 

Outro ponto importante está relacionado às dimensões dos veículos. Os dados relacionados aos tipos de carrocerias também são organizados pelo Contran e os motoristas devem seguir à risca para evitarem penalidades.

Um modelo muito utilizado é o graneleiro para transporte de grãos. Este tipo de carroceria possui grades laterais altas, o que ajuda no armazenamento da mercadoria durante a viagem.

Como funcionam as cargas a granel?

A carga a granel não precisa ser embarcada em embalagens ou caixas. Todo o transporte é feito sem acondicionamento, marcas de identificação e contagem de unidades, ao contrário do que ocorre com produtos refrigerados ou equipamentos eletrônicos.

Existem duas categorias: sólida e líquida.

Carga a granel sólida

Esta modalidade contempla os produtos que são sólidos e podem ser contados em grãos. O tamanho do item neste caso não importa. No Brasil, trigo, soja e milho são os alimentos que mais geram renda.

Carga a granel líquida

Petróleo, óleo de soja e gasolina são alguns exemplos desta categoria; não vamos nos aprofundar nesse porque não é o propósito desse texto.

Ao escolher o melhor caminhão para o transporte de grãos as chances de ocorrerem perdas durante o processo de translado são reduzidas. Vale a pena se aprofundar no assunto e planejar da melhor forma possível a aquisição de novos caminhões!

Ainda está na dúvida sobre os melhores caminhões para o transporte de grãos? Entre em contato com um de nossos consultores, eles podem te ajudar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.